terça-feira, 18 de novembro de 2014

REXONA/ADES SOFRE, MAS VENCE O MARANHÃO/CEMAR

Foto da not?cia

A noite dessa terça-feira (18) não foi nada tranquila para os favoritos ao título da Superliga. Depois de o Dentil/Praia Clube sofrer diante do Uniara/Afav em São Paulo, bem longe dali, no Nordeste, foi a vez do Rexona-Ades deixar muito suor no ginásio Castelinho para não amargar o primeiro revés na fase classificatória. 

O Maranhão/Cemar, então vice-lanterna da competição nacional, chegou a ter 2 a 1 no marcador. Nos dois últimos sets, porém, a equipe de Bernardinho provou sua força para virar para 3 a 2, com parciais de 25/19, 22/25, 20/25, 25/9 e 15/8. Com os oito pontos ganhos, o Rexona assumiu a quarta posição. Já o Maranhão, com o primeiro tento, subiu para o 11º posto. 

Depois de jogar sem público em casa, o Rexona experimentou a sensação de enfrentar um ginásio abarrotado de gente em São Luís. Mas jogar com a torcida contra não foi problema para as cariocas, que contaram com os erros do Maranhão para comandar o primeiro set. Jucy, no bloqueio, também foi fundamental para o Rexona abrir 25 a 19. 

A situção se inverteu no segundo set. Sem a mesma concentração, o Rexona errou mais. Com isso, deu brecha para o Maranhão colocar a torcida no jogo, principalmente com Priscila e Nikolle no ataque. As cariocas, apesar dos oito pontos de Gabi, e do bom trabalho de Natália no bloqueio, não se encontraram. 

A igualdade deu ainda mais moral ao time de Chicão, que passou a acreditar na vitória sobre o atual campeão brasileiro. Sonho que virou uma realidade mais próxima diante das inúmeras falhas das fluminenses. A cada erro do Rexona, Bernardinho ia à loucura à beira da quadra. Mas de nada adiantaram as broncas. Por 25 a 20, o Maranhão fez 2 a 1.

Depois de dois sets ruins, o time do Rio de Janeiro colocou a cabeça no lugar e foi outro a partir do quarto set. E a primeira meta foi diminuir os erros. Com isso, o Maranhão se viu obrigado a construir os próprios erros. Gabi, apesar da juventude, seguiu como melhor opção da equipe. Só no tie-break foram seis da camisa 1, que fechou o jogo com 22 acertos na suada vitória em 3 a 2.

fonte: saque viagem

O DENTIL/PRAIA CLUBE PRECISOU DE 5 SETS PARA VENCER O UNIARA

Divulgação/CBV

O Dentil/Praia Clube precisou de muita disposição para não deixar Araraquara, no interior paulista, com a marca da primeira derrota na Superliga feminina de vôlei. Diante de um Uniara/Afav enjoado, que fez as mineiras suarem para confirmar cada ponto, o time de Ramirez precisou de cinco sets para comemorar a vitória.

Foram longos 3 sets a 2 na noite desta terça-feira (18), encerrados com parciais de 23/25, 30/28, 22/25, 25/17 e 15/6. Ramirez, com 25 pontos, foi a maior pontuadora do time mineiro, que chegou à quarta vitória e voltou à liderança da competição, com 10 tentos. Angélica, com 20, se sagrou a artilheira da equipe da casa. 

Apesar do revés, o quarto no torneio, o Uniara ganhou posições com o ponto roubado. Agora, as meninas de Sandra Mara Leão são as oitavas colocadas. No próximo dia 25, o elenco mineiro visita o Brasília Vôlei, em Taguatinga (DF). Um dia depois, as paulistas recebem o Sesi-SP.

O favoritismo era todo do Praia Clube para a conquista dos três pontos, ainda que o Uniara jogasse em casa o compromisso desta noite, mas o que se viu em quadra foi um duelo dos mais complicados para as mineiras. Com Ju Carrijo no lugar de Karine, a equipe de Uberlândia sofreu para passar pelo bloqueio das mandantes no primeiro set. Resultado: vitória do Uniara em 25 a 23.

A derrota fez o Praia Clube acordar. Ou melhor, Ramirez. A cubana colocou o time debaixo do braço e virou a melhor opção para Ju. Já Tandara, a atacante mais perigosa do elenco de Ricardo Picinin, esteve apagada. A equipe de Sandra Mara voltou a incomodar a partir dos ataques de Angélica e Ju Maranhão. O problema foi que as araraquarenses erraram muito, deixando escapar os 2 a 0.

A igualdade não abalou a confiança do Uniara. Muito pelo contrário. Percebendo a chance de vencer, as meninas do interior paulista seguiram a dar muito trabalho com Angélica, Ednéia e Fernanda Tomé. Os erros também foram minimizados, e o Praia Clube precisou correr atrás dos próprios pontos. O problema foi que apenas Natália e Ramirez corresponderam.

Perto de uma derrota inesperada, o Praia Clube tratou de jogar mais vôlei no quarto set. Ju Costa, que havia saído do banco, assumiu as principais bolas do time de amarelo e preto. Com o ataque funcionando melhor, as comandadas de Picinin não deram chances de as paulistas reagirem. Desta vez, o ataque do Uniara também não entrou para evitar o tie-break.

E foi com este embalo que o Praia Clube entrou no set de desempate. Determinado a voltar para casa com mais um triunfo, o time de Uberlândia abriu distância desde as primeiras trocas de bola. O representante de Araraquara sentiu e não conseguiu mais acompanhar o ritmo. Assim, com um bloqueio mais eficiente e um ataque mais potente, o Praia fechou em 3 a 2.

fonte: saque viagem

MERCADO: JAQUELINE FECHA COM O CAMPONESA/MINAS

Jaque terá a companhia de jogadoras como Walewska e Carol Gattaz em Belo Horizonte 
Divulgação/Minas

Finalmente acertada com um time para a temporada 2014/2015 após uma longa novela nos bastidores, a ponteira Jaqueline se mostrou bastante satisfeita na casa nova, o Camponesa/Minas. A bicampeã olímpica já tirou fotos com o uniforme novo e ficou surpresa ao ser informada que sua contratação veio após um pedido da torcida:

- É sério isso? Eu não sabia. Eu fico feliz. Ir para BH sabendo que a torcida está a favor, que todo mundo pedia para que eu fosse… Fico lisonjeada

A apresentação oficial de Jaque no Minas está marcada para 12h30 desta quarta (19), mas a equipe não divulgou quando será a estreia dela - o time do técnico Marco Queiroga encara o Molico Osasco, última casa de Jaque, às 19h30 da própria quarta e o Sesi às 21h30 da sexta (21). Ambas as partidas são fora de casa.

Independente disto, Jaque só tem um pensamento:

- Espero retribuir da melhor maneira possível. Quero dar a essa torcida alegria, porque o carinho que tenho recebido é enorme. Voltar a jogar, ainda mais em uma equipe de tradição, como a Minas, vai ser maravilhoso

Na Camponesa/Minas, Jaqueline jogará ao lado de jogadoras de renome, como Walewska, Carol Gattaz, Lia, Mari Paraíba e Ju Nogueira. O restante do elenco conta com as jovens Carla, Jordane, Valquíria, Tica, Naiane, Emília, Laís, Jessica, Gabriela Martins, Karol Tormena e Maiara. Todas sob as orientações do técnico Marco Queiroga.

fonte: melhor do vôlei

sexta-feira, 7 de novembro de 2014

SUPERLIGA 14/15: REXONA/ADES ESTRÉIA COM VITÓRIA

Foto da not?cia

A primeira partida da Superliga feminina de vôlei 14/15 terminou com triunfo das atuais campeãs. Nesta sexta-feira (07.11), o Rexona-Ades (RJ) derrotou o Rio do Sul/Equibrasil (SC) por 3 sets a 1 (25/15, 25/20, 19/25 e 25/14), em 1h49 de jogo no ginásio do Tijuca Tênis Clube, no Rio de Janeiro. A equipe carioca se valeu da eficiência do saque, 11 pontos neste fundamento e do excesso de erros das adversárias, 37 ao todo, para estrear com vitória na temporada.

Diante de um público de 1200 pessoas a equipe anfitriã dominou a partida na maior parte do tempo. Destaque para a ponteira Gabi, eleita a melhor em quadra e premiada com o Troféu VivaVôlei. A atleta elogiou a atuação adversária e contou que cada ponto conquistado na competição é importante.

“Esta foi uma vitória muito importante, precisamos jogar muito, principalmente no quarto set para garantir os três pontos. A equipe de Rio do Sul tem um saque muito bom e jogou muito bem. A estreia é sempre difícil, nervosa, mas estamos buscando entrosamento e ainda vamos evoluir na competição”, contou a ponteira que está na terceira temporada na equipe carioca.

Mesmo com a derrota da equipe catarinense, a oposto Natiele se destacou e foi a maior pontuadora da partida, marcando 17 vezes. Para a atleta a primeira partida na competição mostrou que o Rio do Sul pode fazer um bom papel na temporada.

“Toda estreia é cheia de nervosismo. No começo não conseguimos encaixar o nosso jogo. Somos um time jovem e vamos evoluir. Temos tudo para fazer um bom campeonato”, comentou Natiele ao fim do jogo.

A Superliga feminina continua neste sábado (08.11) com outra partida válida pela quarta rodada. Em Uberlândia (MG), o Dentil/Praia Clube (MG) recebe o São Bernardo Vôlei (SP), no ginásio do Praia Clube, às 18h.

O jogo

A partida começou com equilíbrio entre as duas equipes que se revezaram na liderança no placar. Com o erro da defesa das visitantes, o Rexona-Ades chegou a frente na primeira parada técnica, 8/7. Na volta, o time carioca conseguiu impor o ritmo e, com um ace, Gabi fez 11/7. A equipe do Rio do Sul/Equibrasil, apesar dos erros, conseguiu recuperação, e, com ataque de Mimi Sosa, a equipe catarinense diminuiu para 15/13. A ponteira Natália, do time representante do Rio de Janeiro, entrou para o saque e fez 18/13. A vantagem aumentou e chegou a 10 pontos, quando Gabi largou e encerrou o set, 25/15.

A segunda parcial teve ingredientes semelhantes à primeira. As donas da casa começaram forçando o saque dificultando as ações de ataque das adversárias. No primeiro tempo técnico, vantagem para o Rexona-Ades após ataque de Juciely, 8/5. A equipe catarinense melhorou o volume defensivo e reagiu no placar, com ataque de Vanessa pela entrada a vantagem caiu para um ponto, 11/10. A equipe carioca voltou a deslanchar no placar com o saque de Carol, que, com um ace, fez 15/12. Na sequência o Rexona-Ades administrou a diferença no marcador, e, com ataque de Natália, encerrou o set em 25/20.

No terceiro set o time de Rio do Sul/Equibrasil voltou melhor e assumiu a liderança do placar logo no começo. Após ataque de Vanessa, as visitantes fizeram 8/7. A equipe do Rexona-Ades conseguiu a virada após bloqueio de Carol, 10/9. O time catarinense manteve um bom rendimento na defesa, conseguiu reassumir a frente no marcador, e, com o erro de ataque de Andréia, abriu 15/11. O Rio do Sul/Equibrasil administrou a vantagem, e, com o ace de Yael chegaram a 22/18. Natiele deu números finais ao set, 25/19.
Com um ace de Fofão, o Rexona-Ades abriu o placar no quarto set. A diferença aumentou, e com um erro de ataque de Neneca, as donas da casa abriram 6/3. O domínio do time carioca aumentou e com o saque de Juciely a vantagem chegou a 15/6. O time catarinense continuou com dificuldades no passe e no ataque, permitindo que as anfitriãs abrissem 10 pontos, 19/9. O panorama não se alterou na reta final do set, vitória do Rexona-Ades por 25/14 após ataque de Natália.

EQUIPES

Rexona-Ades: Fofão, Andréia, Carol, Juciely, Natália, Gabi e a líbero Fabi.
Entraram – Roberta, Bruna, Amanda
Técnico: Bernardinho

Rio do Sul: Natiele, Yael, Mimi Sosa, Camila Paracatu, Neneca, Vanessa e a líbero Juliana Paes. Entraram – Duda, Luciana, Elis, Carla e Fernanda.
Técnico: Spencer Lee

fonte: cbv

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

GARAY TORCE O TORNOZELO EM PARTIDA VÁLIDA PELO CAMPEONATO RUSSO


                                                                                              Divulgação

Garay torceu o tornozelo no terceiro set

Fernanda Garay era um dos grandes destaques do Dínamo Krasnodar quando deu um susto no terceiro set do duelo com o Leningradka, realizado nessa terça-feira (28), pela segunda rodada do Russo feminino de vôlei.

Após um choque com a cubana Yanelis Santos, do Leningradka, a ponteira teve um leve entorse no tornozelo e deixou a quadra. Mas, segundo sua equipe, a campeã olímpica está bem e já deverá estar à disposição nas próximas partidas.

Durante o tempo em que esteve em ação, Garay dividiu o protagonismo com Sokolova, com 16 pontos marcados por cada uma, na vitória folgada por 3 sets a 0 (25/18, 25/16 e 28/26). Santos foi a maior pontuadora do jogo, com 26 tentos.

Foi a segunda vitória do Krasnodar, que havia vencido o Dínamo Kazan na estreia. 

fonte: saque viagem

terça-feira, 28 de outubro de 2014

MARIANA COSTA É CONTRATADA PELO CAMPONESA/MINAS

  Divulgação

Mari Paraíba está de volta à Camponesa/Minas. Após disputar o Paulista feminino pelo Vôlei Bauru, time que chegou até as quartas de final, a ponteira acertou com os minastenistas para jogar a Superliga 2014/15.

Trata-se da segunda passagem da atacante, que ajudou o Minas a chegar até as semifinais da competição nacional em 2011/12. Foi o último grande resultado do representante de Belo Horizonte (MG).

“Adorei trabalhar no Minas em 2011. Espero repetir o bom desempenho daquela temporada. Estou muito feliz por ter voltado. Adoro Belo Horizonte e o Minas Tênis Clube. Espero fazer uma ótima Superliga”, declarou a atleta.

A estreia de Mari e do Minas na Superliga é no próximo dia 11 de novembro, a partir das 19h30 (de Brasília), contra o Pinheiros em casa.

A levantadora Camila Torquete também foi contratada.

fonte: saque viagem e melhor do vôlei

PINHEIROS NÃO DÁ CHANCES AO MOLICO/OSASCO E FAZ 3 A 0 NA LUTA POR UMA VAGA NA FINAL DO PAULISTA 2014

Pinheiros vence Molico/Osasco por 3 sets a 0 pela semifinal do Paulista  
Luiz Pires/Fotojump

Mesmo atuando na casa do adversário, o Pinheiros fez bonito na noite desta terça-feira (28/10). Com Ellen e Rosamaria inspiradas, a equipe da capital derrotou o Molico/Osasco por 3 sets a 0, com parciais de 25-20, 32-20 e 25-22.

O Pinheiros começou o set se aproveitando dos erros das adversárias e, em boa sequência de saques de Cibele, abriu três pontos de frente através de uma bola de cheque de Fernanda Isis (8/5). Com dois bloqueios da central Thaisa, as donas da casa reduziram a diferença para um ponto (13/12). Após um ace da central, o Osasco passou a liderar o placar (16/15). Com um bloqueio de Fernanda Isis em Ivna, as visitantes voltaram a abrir três pontos (20/17). Em um ataque de Rosamaria, o Pinheiros fechou a primeira parcial (25/20).

As comandadas do técnico Wagão iniciaram o segundo set com gás total e, com a ponteira Ellen inspirada, foram ao primeiro tempo técnico na frente (8/4). Sem perder a concentração, o Pinheiros seguiu abrindo vantagem após um erro de ataque da cubana Carcases (16/9). Em mais um ótimo momento da ponteira Ellen, as visitantes chegaram ao vigésimo ponto (20/13). Com bons saques de Dani Lins, o Molico chegou ao empate em uma reação que levantou o ginásio (24/24). Em um final de set eletrizante, o Pinheiros não se deixou abater pelas perdas de set points e fechou a parcial após um ataque de Cibele (32/20).

As visitantes entraram para o terceiro set dispostas a liquidar o duelo e já abriram o placar desde o início (5/2). Com a oposto Rosamaria muito constante o Pinheiros seguiu na liderança após um bloqueio da jogadora em Carcases (11/8). O Molico encostou no placar, mas em um ataque de Ellen, as comandadas de Wagão foram para o segundo tempo técnico na liderança (16/14). Após um ataque de Rosamaria pelo fundo, o Pinheiros fechou o jogo (25/22).

Na próxima quinta-feira (30/10) as duas equipes voltam a se enfrentar, às 18h30, no Ginásio do Esporte Clube Pinheiros. Com o triunfo desta noite, o Pinheiros só precisa vencer a partida de quinta para se classificar para a final do Paulista. Caso o Molico vença, a série será decidida no Golden Set.


Molico/Osasco – Dani Lins, Ivna, Mari, Carcases, Thaisa e Adenizia. Líbero – Camila Brait. Entraram – Diana, Gabi, Samara e Lara.

Pinheiros – Macris, Rosamaria, Ellen, Cibele, Vivian e Fernanda Isis. Líbero – Léia. Entraram – Kasiely, Rosane e Renatinha.

fonte: melhor do vôlei

O SÃO CRISTÓVÃO/SÃO CAETANO SURPREENDE E BATE O SESI-SP PELAS SEMIS DO PAULISTA 2014



O Sesi-SP não encontrou adversário à altura em toda a fase classificatória do Paulista feminino. Foram seis jogos e seis vitórias, campanha que o colocou como o favorito diante do São Cristóvão Saúde/São Caetano. Na prática, porém, foi bem diferente. O time de Hairton Cabral jogou bem, aguentou a pressão das paulistanas e, dentro de casa, venceu por 3 sets a 2, parciais de 29/27, 15/25, 25/24, 16/25 e 15/13. 

Com o resultado desta segunda-feira (27), o elenco do ABC colocou um pé na grande decisão. Mas a equipe da Vila Leopoldina ainda tem chances de buscar a classificação. Nesta quarta-feira (29), às 19 horas (de Brasília), o confronto é na Vila Leopoldina. O São Caetano avança com mais um triunfo. Já o Sesi-SP precisa vencer no tempo normal para provocar o golden set. O vitorioso briga pelo título com Molico/Nestlé ou Pinheiros.  

Empurrado por um bom público, o São Caetano fez do início do primeiro set uma espécie de passeio. O time de Hairton Cabral, a partir de um bom saque, colocou ampla vantagem. Em meio à má recepção, o sexteto de vermelho perdeu força ofensiva. Talmo de Oliveira trocou então Claudinha por Carol Albuquerque. A levantadora reserva se saiu bem e conduziu o Sesi-SP a uma bela reação.  E foi por muito pouco que o time visitante não venceu a parcial.

Se não deu para evitar o triunfo do São Caetano, a reação serviu para acordar o Sesi-SP. E o segundo set foi completamente diferente. Com um bloqueio agressivo, em especial quando Bia entrou na rede, a equipe de Talmo jogou solta e não deixou as donas da casa respirarem. Hairton não teve outra alternativa a não ser solicitar tempo. Fez também mudanças. Mas o Sesi-SP, pra lá de concentrado, manteve o ritmo forte para empatar a disputa.

A vitória não foi o suficiente para fazer as paulistanas deslancharem em quadra. Oscilando novamente, o sexteto de vermelho perdeu o placar de vista. E a história do primeiro set se repetiu. O elenco de azul voltou a jogar um bom voleibol e abriu uma boa distância. Diante das dificuldades, Talmo colocou as experientes Carol e Fabiana. A dupla entrou bem, o Sesi-SP recuperou o terreno e pressionou o Sanca. Na reta final, porém, a equipe da casa levou a melhor.

A um set da derrota, Talmo mudou a formação que entrou em quadra na quarta parcial. Fabiana assumiu o lugar de Bárbara. Já Carol, o de Claudinha. O Sesi-SP passou a jogar ainda com duas líberos: Suelen no passe e Michelle na defesa. As trocas foram benéficas, e as meninas da Vila Leopoldina passaram a ditar o ritmo do set. As donas da casa não conseguiram quebrar o jogo das oponentes, que venceram e provocaram o tie-break.

O São Caetano deixou de lado a derrota e foi para o tudo ou nada no tie-break. A tática surtiu efeito, e o time de Hairton comandou o confronto. Após a virada de quadra, Talmo fez a inversão do 5-1, com Claudinha e Monique. A levantadora, no saque, complicou a vida de Thaisinha e companhia. A partir daí, a partida ficou acirrada, com ponto lá, ponto cá. Em um jogo tão justo, um erro determinou o placar final. Nos dois toques de Suelle, o Sanca fechou em 15 a 13.

fonte: saque viagem

REXONA-ADES FATURA O CARIOCA PELA 11ª VEZ SEGUIDA

Divulgação

Maior campeão da Superliga, o Rexona-Ades quebrou mais um recorde nesta segunda-feira (27). De forma tranquila, o time de Bernardinho faturou o 11º caneco do Campeonato Carioca, após vencer o Canto do Rio, na Urca, por 3 sets a 0 (25/15, 25/17 e 25/16). 

Com isso, passou a ser o maior papa-títulos também no estado. Entre os anos 60 e 70, o Fluminense emplacou dez conquistas na competição. Desde a última década, porém, o Rexona reinou absoluto em território fluminense.

De volta à equipe após defender o extinto Vôlei Amil, Natália valorizou o novo feito. “Atingir essa marca é importante para o Rexona-AdeS.” Além disso, fez questão de elogiar a equipe adversária, que foi montada há pouco tempo e, mesmo assim, mostrou “muita qualidade.”

“Elas deram trabalho para a gente e isso é muito bom. Espero que o vôlei daqui possa se fortalecer. É a cidade olímpica, estamos há menos de dois anos das Olimpíadas e torcemos para que apareçam mais empresas interessadas em investir no esporte.”

Cumprido o dever de casa, o Rexona passa a pensar na Superliga. O atual campeão faz sua estreia no próximo dia 7, contra o Rio do Sul/Equibrasil, em Santa Catarina. Até lá, as cariocas treinam na Urca sob o comando de Bernardinho.  

fonte: saque viagem

terça-feira, 23 de setembro de 2014

MUNDIAL 2014: BRASIL ESTRÉIA BEM E VENCE A BULGÁRIA

Foto da not?cia
Brasil comemora a vitória sobre a Bulgária

A seleção brasileira feminina de vôlei estreou com vitória no Campeonato Mundial. Nessa terça-feira (23.09), o Brasil venceu a Bulgária por 3 sets a 0 (25/19, 25/22 e 25/16), no Palatrieste, em Trieste, na Itália. Brasileiras e búlgaras estão no grupo B que ainda tem Canadá, Camarões, Turquia e Sérvia. O time verde e amarelo luta por um titulo inédito. 

Pelo grupo das brasileiras, o Canadá venceu Camarões por 3 sets a 1 e a Sérvia superou a Turquia pelo mesmo placar.

O próximo desafio do Brasil na competição será Camarões. As brasileiras duelarão com as camaronesas às 12h (horário de Brasília) dessa quarta-feira (24.09) com transmissão ao vivo do SporTV. 

A oposto Sheilla foi a maior pontuadora do confronto, com 15 pontos. A central Fabiana, com 13, e a ponteira Jaqueline, com 12, também pontuaram bem. Pelo lado da Bulgária as ponteiras Vasileva e Rabadzhieva marcaram 14 pontos cada. 

A bicampeã olímpica Sheilla comentou a atuação do Brasil na vitória sobre a Bulgária e dedicou o resultado positivo para a sua avó Terezinha, a aniversariante do dia. 

"Essa vitória por 3 sets a 0 e os três pontos foram muito importantes. Demos uma desconcentrada no segundo set, mas no geral, a equipe se portou bem. Conseguimos manter nosso ritmo e sacamos com eficiência. Dedico essa vitória para minha avó Terezinha que sempre me apoiou durante toda a minha carreira", disse Sheilla. 

A central Fabiana falou sobre a dificuldade das adversárias do grupo do time verde e amarelo. 

"Começamos um pouco ansiosas por ser uma estreia, no entanto, logo depois, conseguimos impor nosso ritmo, principalmente no terceiro set. Estamos em um grupo difícil e não tem jogo fácil nesse Mundial" , analisou Fabiana. 

O treinador José Roberto Guimarães fez uma análise da primeira partida das brasileiras no Mundial da Itália. 

"Poderíamos ter jogado um pouco melhor no segundo set quando deixamos a Bulgária equilibrar o jogo por termos cometido alguns erros bobos. No entanto, para uma estreia e com o nervosismo envolvido, além de um adversário difícil, foi uma boa partida. O time se comportou bem e a nossa defesa funcionou. Fizemos também oito pontos de saque, o que é efetivo, portanto estou feliz", garantiu José Roberto Guimarães. 

O JOGO

Com um ace, a ponteira Jaqueline fez o primeiro ponto da partida. As brasileiras começaram melhores e, numa largada da oposto Sheilla, fizeram 9/4. Bem no ataque e no saque, o time verde e amarelo abriu seis pontos (16/10). Com um erro das búlgaras, as atuais campeãs olímpicas fizeram 21/17. O Brasil seguiu melhor até o final e fechou a primeira parcial por 25/19. 

A Bulgária voltou melhor para o segundo set e fez 3/1. Com Fabiana bem no ataque, as brasileiras viraram o placar e abriram dois (6/4). O técnico da Bulgária pediu tempo. A parada fez bem ao time búlgaro que virou o marcador (9/8). Com três pontos seguidos de bloqueio, a equipe verde e amarela voltou a abrir no placar (11/9). No segundo tempo técnico, o grupo comandado pelo treinador José Roberto Guimarães tinha três de vantagem (16/13). Com uma boa sequência de saques, o time europeu empatou (18/18). O final da parcial foi equilibrado, mas o Brasil foi melhor nos momentos decisivos e venceu o segundo set por 25/22. 

Bem no saque e no bloqueio, o Brasil fez 5/1 no início do terceiro set. Com uma boa sequência de saques da ponteira Fê Garay, o time verde e amarelo abriu sete (10/3). As brasileiras foram para o segundo tempo técnico com seis de vantagem (16/10). As atuais campeãs olímpicas seguiram melhores até o final e venceram o terceiro set por 25/16.

EQUIPES

BRASIL – Dani Lins, Sheilla, Jaqueline, Fê Garay, Jaqueline, Fabiana e Thaísa. Líbero – Camila Brait 

Entraram – Fabíola, Tandara, Gabi e Natália 

Técnico: José Roberto Guimarães 

BULGÁRIA – Kitipova, Rabadzhieva, Ruseva, Vasileva, Filipova e Nikolova. Líbero – Filipova

Entraram –Koleva, Nenova e Dimitrova 

Técnico:Vladimir Kuzyutkin 

fonte: cbv